Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Pesquisa

Pesquisadores da UFTM e EESC-USP desenvolvem protótipo de talher para pessoas com dificuldades motoras

Um projeto de pesquisa desenvolvido na Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM busca demonstrar os resultados de uma tecnologia desenvolvida para beneficiar pessoas com dificuldades motoras. Trata-se de uma colher adaptada especialmente para pessoas com dificuldades motoras decorrentes de limitações ocasionadas por doenças como, por exemplo, mal de Parkinson. O dispositivo foi desenvolvido em parceria entre a professora do Curso de Terapia Ocupacional da UFTM, Alessandra Cavalcanti de Albuquerque e Souza e os engenheiros e pesquisadores Artur Valadares de Freitas Santos, e Zilda de Castro Silveira da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo – EESC-USP. 

professora do Curso de Terapia Ocupacional da UFTM, Alessandra Cavalcanti de Albuquerque e Souza e os engenheiros e pesquisadores Artur Valadares de Freitas Santos, e Zilda de Castro Silveira da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo – EESC-USP.
Dispositivo foi desenvolvido pela professora do Curso de Terapia Ocupacional da UFTM, Alessandra Cavalcanti de Albuquerque e Souza e os engenheiros e pesquisadores da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo – EESC-USP. (Fotos: Edmundo Gomide/UFTM)

 

De acordo com a professora Alessandra, a pesquisa que gerou o protótipo teve início em 2014 quando foram realizados experimentos com duas colheres, uma padrão e uma adaptada adquirida comercialmente por importação. Os resultados positivos dos testes com um paciente com Parkinson levaram o grupo de pesquisadores a desenvolverem um novo modelo de colher que fosse acessível para os usuários do Sistema Único de Saúde – SUS. O protótipo foi patenteado pelo grupo e está em fase de testes. “A proposta nasceu de uma pergunta de pesquisa de uma aluna de TCC da UFTM em 2014, pois o tema é matéria de uma disciplina que leciono no Curso de Terapia Ocupacional.  Ganhou forma no mestrado do pesquisador Artur da EESC-USP e está em fase de teste preliminar na Iniciação Científica da UFTM. O talher é genericamente indicado para pessoas com Parkinson ou que tenham um tremor nas mãos, ou uma dificuldade de agarrar o cabo do utensílio. O dispositivo possui o cabo de segurar dividido em quatro compartimentos nos quais é possível adicionar água para alterar o peso e melhorar a estabilidade da preensão e assim dar mais autonomia ao usuário”, explicou a professora.

Protótipo foi confeccionado em uma impressora 3D
Dispositivo possui o cabo de segurar dividido em quatro compartimentos nos quais é possível adicionar água para alterar o peso e melhorar a estabilidade
Dispositivo em testes promete auxiliar pacientes com dificuldades motoras
Tecnologia foi desenvolvida para beneficiar pessoas com dificuldades motoras 

 

Em sua fase atual, o protótipo foi confeccionado em uma impressora 3D, e passa por ajustes e testes por meio de um projeto de Iniciação Científica da UFTM, desenvolvido com apoio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Pibic/Cnpq. “Nós usamos a metodologia single case, em que um usuário é acompanhado durante semanas sem intervenção, ou seja, alimentando-se com o talher convencional, e quando os valores desta avaliação nesta fase se tornam constantes uma intervenção é feita, ou seja, o paciente passa a se alimentar usando o talher adaptado, o protótipo da patente. Então, realizamos um novo acompanhamento por semanas”, complementou a professora.

0
0
0
s2sdefault
registrado em:
Fim do conteúdo da página